Nestes dias de futebol

Opinião de José Ávila

José ÁvilaPortugal ganhou, e bem, o País de Gales por dois golos sem resposta, num jogo em que Ronaldo “regressou”, para nossa satisfação.

A nossa seleção tem sido criticada por não fazer jogos bonitos, pelo menos até esta quarta-feira, mas dou razão ao selecionador quando afirma que entre jogar feio e estar em França ou jogar bonito e ir para casa, escolhe a primeira opção. Não diria melhor.

O ruído mediático emitido por uma catrefada de comentadores que se espalham pelos diversos canais televisivos, tem sido de tal ordem que cria, ao redor da seleção, momentos de algum agastamento, mas que originam situações de fino humor, como foi a do patinho feio ou então, um humor mais negro, quando o Quaresma lança o convite aos críticos para irem ver a final a Paris.

Esta vitória ofuscou outro feito. Dulce Félix sagrou-se vice-campeã da Europa nos 10.000 metros, em Amesterdão, na Holanda. Esta excelente atleta continua a dar alegrias aos Portugueses.

Esta semana também se esperava decisões sobre as sanções da União Europeia, a Portugal e a Espanha. Mas o que surgiu esta quinta-feira foi estranho. Foi decidido que quem decidirá será, afinal, o Conselho de Ministros das Finanças da União Europeia. Mais tempo, mais especulações e, sobretudo, mais incertezas sobre o futuro próximo. Vamos ter de continuar a ouvir os burocratas de Bruxelas, não eleitos, a afirmar o seu e o seu contrário, por mais uns dias.

O Secretário-Geral da OCDE afirmou que esta era uma altura muito má para criar divisões entre os países ao aplicar sanções por apenas ultrapassar o défice em duas décimas, quando tínhamos questões muito mais importantes para atender, como a crise dos migrantes e refugiados, a saída do Reino Unido da União Europeia e o terrorismo. Palavras sábias.

Na Assembleia da República discutiu-se o Estado da Nação. Foram horas de debate em que surgiram, como se esperava, dois blocos bem distintos: a direita que procura alegar que o país está pior e a esquerda a explicar a importância de devolver rendimento e direitos aos Portugueses, coisas que lhes foram sonegadas nos quatros anos de mandato dessa direita.

Nos Açores prossegue a pré-campanha eleitoral. O PSD, em campanha há um ano na procura incessante de notoriedade, prossegue com a publicitação de chavões, por vezes antagónicos e outras vezes prometendo a interferência do estado em tudo o que mexe.

Enfim, uma semana normal.

 

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s