Município da Horta congratula-se com a construção da Escola do Mar dos Açores

José Leonardo SilvaA Câmara Municipal da Horta congratula-se com a adjudicação da construção da Escola do Mar dos Açores, anunciada na passada semana pelo Governo Regional, que considera o posicionamento estratégico da ilha do Faial ao nível da investigação, o seu enquadramento no contexto das ilhas do Triângulo e as condições de apoio existentes no Porto da Horta, que revelam a importância do mar dos Açores e do setor do Turismo para o desenvolvimento económico dos Açores e do concelho da Horta.

Segundo José Leonardo Silva, Presidente da Câmara Municipal da Horta, “o mar representa um valor acrescido em termos sociais e económicos para a ilha do Faial e para os Açores, permitindo projetar a Região além-fronteiras”, através de um ensino profissionalizante ao nível das profissões do mar, e de referência.

A preocupação pelo investimento nesta área data de há muito. A Câmara da Horta é a única autarquia da Região a dedicar um pelouro ao Mar, Inovação e Empreendedorismo, e a promover uma cultura de mar através não só através das duas comissões que mantém em funcionamento – a Comissão Náutica Municipal e a Comissão Municipal para os Assuntos do Mar – como através de programas e projetos tais como o “Mare Nostrum”.

A construção a escola, adjudicada à empresa Afavias – Engenharia e Construções – Açores, S.A, prevê a adaptação dos edifícios existentes e a construção de novos corpos, a adaptação de um armazém no Porto da Horta para as atividades formativas que impliquem acesso direto ao mar e ainda a aquisição de equipamentos básicos.

Segundo nota divulgada pelo Governo Regional dos Açores, aquela infraestrutura “terá múltiplas valências de ensino e formação, estando previstas salas de aula e de simuladores, oficinas de especialidades diversas, um parque de limitação de avarias e segurança, uma cozinha industrial e instalações para formação em mergulho profissional”.

“Este novo estabelecimento de ensino profissional focará a sua atividade de formação em profissões relacionadas com as pescas, os transportes marítimos de passageiros e de carga, a repa-ração e construção navais, as atividades marítimo-turísticas e a observação ambiental e de pescas, entre outras, incluindo novas profissões ligadas à economia do mar”, lê-se em nota distribuída à comunicação social e a empreitada terá um prazo de execução de 12 meses a partir do início dos trabalhos.

 

 

 

Foto: CMH

GI CMH/+central

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s