Financiamento europeu garante “estabilidade laboral” e “investigação do mar”

IMARO grupo de investigação do IMAR (Instituto do Mar) “Open ocean and deep-sea” conseguiu financiamento para dois projetos europeus que vão permitir a assunção de um papel de liderança a nível nacional e europeu na investigação de mar profundo, assim como garantir estabilidade a investigadores na Região.

Segundo o jornal Açoriano Oriental, este financiamento, que representa a manutenção de algumas linhas de investigação na Região, realça o papel fundamental que os Açores têm na Ciência a nível europeu.

“Na situação financeira atual, estes financiamentos permitem manter linhas de investigação nas quais, nos últimos anos, nos temos afirmado, tornando-nos líderes a nível europeu”, afirmou Telmo Morato, responsável local pelos projetos, ao diário regional.

O investigador salientou, igualmente, a importância da Região estar bem posicionada na investigação na área do mar, o que “permite dar cartas na área da gestão não só a nível regional como a nível europeu”.

“A relevância deste financiamento não se limita à sua importância para a ciência, mas também a toda a influência política que pode surgir por estarmos envolvidos nestes grandes consórcios”, disse.

Destacando ainda que se trata de um financiamento com elevado valor, Telmo Morato não quis para já adiantá-lo, reservando esse anúncio para depois da formalização de todos os contactos que este processo implica.

Refira-se que estes dois financiamentos resultam de um concurso aberto pela União Europeia no âmbito do programa europeu Horizonte 2020, destinado a projetos que se focassem no conhecimento de mar profundo e analisassem as alterações que pode sofrer devido às alterações climáticas, nomeadamente devido à alteração do padrão de correntes no Atlântico Norte.

Neste âmbito, o grupo de investigação do IMAR/MARE conseguiu financiamento para os projetos “Atlas” e “Sponge”, que têm como responsáveis de projeto Telmo Morato e Ana Colaço, do Departamento de Oceanografia e Pescas da Universidade dos Açores.

O projeto “Atlas” tem por objetivos aumentar o conhecimento da biodiversidade do mar profundo e compreender se existe algum potencial para o desenvolvimento da economia azul, através de novos produtos biotecnológicos ou genéticos.

“Com este projeto será possível promover a exploração e o uso destes recursos de forma sustentável, permitindo à Região dos Açores e à Europa atingir os desígnios da estratégia marinha europeia de manutenção do bom estado ambiental”, referiu, explicando que será, por exemplo, reanalisado o padrão das correntes de profundidade no Atlântico Norte para se perceber como é que essas alterações têm impacto na vida das comunidades de mar profundo e como é que se podem mitigar essas alterações de forma a potenciar a economia azul e reduzir as eventuais perdas.

Já o projeto “Sponges” foca-se num grupo de organismos de mar profundo que tem um grande potencial biotecnológico – as esponjas – mas que, segundo Telmo Morato, ainda não tinha merecido um estudo financiado pela União Europeia.

“É o primeiro projeto europeu financiado que tenta conhecer melhor este grupo de organismos e o seu potencial biotecnológico e, desta forma, a sua importância para a economia azul e o crescimento azul”, referiu.

O investigador destacou ainda que se trata de um projeto “muito inovador com algum risco associado porque, quando se trabalha com novas áreas, as incertezas são muito grandes, tornando-se difícil garantirmos à partida o sucesso”.

Este projeto está integrado num consórcio com parceiros europeus da Europa costeira, Estados Unidos da América e Canadá.

Ainda mais recentemente o IMAR conseguiu financiamento para um terceiro projeto que foca uma temática semelhante aos anteriores, mas pretende desenvolver tecnologias que permitam a recuperação e restauração de habitats de mar profundo após sofrerem impactos da atividade humana.

“Esses impactos podem ser causados pela pesca mas também por futuras atividades como a exploração mineral de mar profundo ou outras”, frisou.

 

 

 

Foto: Direitos Reservados

AO online/+central

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s