Imigrações valorizam o património cultural regional

4220O Diretor Regional das Comunidades afirmou, em Ponta Delgada, que o fenómeno imigratório nos Açores “contribui para a valorização e diversificação” do património cultural do arquipélago.

Paulo Teves, que falava sexta-feira na inauguração da exposição ‘Migrações e Diversidade: Açores Inclusivos’, sublinhou a importância de que se revestem as migrações no quotidiano arquipelágico, destacando a realização de projetos que possibilitam a “convergência das migrações, na dupla vertente da imigração e emigração, como fator imprescindível para uma sã convivência entre povos e culturas, através da adoção de boas práticas de integração nas diversas sociedades de acolhimento”.

“É intenção do Governo, e das instituições que trabalham diariamente com os migrantes, promover não só a sua plena integração, mas também a criação de espaços de divulgação das especificidades culturais dos países onde mergulham as suas raízes”, frisou o Diretor Regional, acrescentando que “é importante não assumir apenas a presença da imigração, mas incentivá-la a participar na construção e desenvolvimento da Região”.

Nesse sentido, salientou que os trabalhos expostos nesta mostra, “para além de evidenciarem a diversidade cultural” existente nos Açores, “representam a vontade e o interesse singular de cada artista em encontrar, neste arquipélago, o mote promotor da expressão da sua arte”.

A exposição integra trabalhos no domínio das artes plásticas e artesanais, como pintura em tela e tecido, cerâmica, paletes, bijuteria, ‘patchwork’, quadros em folha de eucalipto e papel vegetal, entre outras técnicas, elaborados por imigrantes oriundos do Brasil (Érica d`El-Rei Perello), Cabo Verde (Mário Moreira), Estados Unidos da América (Susan Burkat Trubey), França (Anne Bruyere), Moçambique (Julieta Tovela) e Rússia (Maxim Pavlov), bem como de um emigrante açoriano que regressou à Região (Marc Garcia).

Na sua intervenção, Paulo Teves destacou ainda que esta iniciativa, a decorrer durante as Festas do Senhor Santo Cristo dos Milagres, também procura “relevar, de um modo geral, os processos migratórios de todos os indivíduos que partiram da sua terra, em especial, dos emigrantes açorianos que se encontram de visita aos Açores”.

A exposição ‘Migrações e Diversidade: Açores Inclusivos’, promovida pelo Gabinete do Subsecretário Regional da Presidência para as Relações Externas, através da Direção Regional das Comunidades, em colaboração com a AIPA – Associação dos Imigrantes dos Açores, a ARRISCA – Associação Regional de Reabilitação e Integração Sociocultural dos Açores e a Cresaçor – Centro Comunitário de Apoio ao Imigrante, está patente ao público na Capela da Igreja Paroquial de São José, em Ponta Delgada, até 14 de maio.

 

 

Foto: GRA

DRCom/+central

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s